Gerente de projetos ou secretário?

Este artigo é pra você que conhece algum gerente de projetos que não parece exercer muito bem a atividade de gestão, lembra mais uma secretária não muito competente. Bom, nada contra as secretárias, não me levem a mal, sabemos que elas são de grande importância para gerir as demandas do dia a dia e sem elas as empresas e diretores poderiam não desempenhar suas atividades com eficiência, já que elas são as responsáveis por manter as demandas organizadas.

Mas, precisamos entender que um gerente de projetos não deve ter como principais atividades: ser o centralizador dos e-mails e das decisões; responsável por marcar reunião com o cliente; por verificar quando que pode faturar o projeto; fazer o status do projeto ou da demanda.

E na pior das situações é quando há um gerente de projetos por parte do fornecedor e outro para representar o cliente, e ambos fazem o papel burocrático que acaba sendo a curva de rio, deixando o processo ineficiente e oneroso.

Vamos combinar o seguinte, se for para continuar assim não precisamos mais cobrar certificação PMP e muito menos MBA em gestão de projetos, passamos a cobrar bacharel em secretariado, ok? Que faz muito mais sentido para as atividades discutidas até então.

Por definição os papel de um(a) secretária são: organizar e manter atualizada a agenda; distribuir tarefas a seus auxiliares; atender telefonemas; redigir correspondências e e-mails; protocolar, receber e arquivar documentos, prepara reuniões.

Pessoal, na minha opinião o papel de gerente de projetos vai muito além disso, deve participar ativamente, desde a concepção do projeto, desenho e planejamento do produto/serviço/processo até execução e controle. Ter a visão do projeto como um todo, conhecer a gestão de processos e os indicadores de desempenho, saber GERENCIAR.

"O princípio da gestão é: só se gerencia o que se controla, e só se controla o que se mede."

Além de ter visão, deve saber interagir e liderar o time do projeto para identificar possíveis ganhos de eficiência e diminuir impedimentos, saber articular com os stakeholders do projeto, resolver conflitos, aumentar o engajamento e identificar oportunidades de melhorias e até novos projetos.

Bom, vamos nos esforçar para que o papel de gerente de projetos não caia em descrédito ou seja sucateado, e pessoas venham com a frase "Ixi lá vem o GP". Para isso acho válido dar algumas dicas:

  • Para as empresas: que tal exigirmos comprovação de resultados entregues nos projetos, exemplos de técnicas para a resolução de problemas, e testes e dinâmicas para sentir a capacidade de liderar dos candidatos, ao invés de focarmos exclusivamente em certificações e programas de MBA;

  • Esta dica serve não apenas para o processo de recrutamento e seleção, mas também para o desenvolvimento da liderança dos seus times de gestão;

  • Para os gerentes de projetos ou pretendentes: vamos incorporar a frase que diz, "nada que é fácil nos torna diferente", a barra de exigência do mercado e das empresas, está cada vez mais alta, certificações e MBAs são importantes para consolidar o conhecimento, mas vale lembrar que é sempre importante ir além, praticar, praticar e praticar!

  • Indivíduos no papel de gestão, devem ter em seu DNA a capacidade de resolver problemas, ser facilitador do fluxo do processo de gestão, saber liderar e engajar a equipe, ser descentralizador e saber que o importante é resolver, e nenhuma técnica ou metodologia de gestão vai fazer isso por você, a não ser você mesmo. É importante estar apto a mudar a forma que está conduzindo o projeto até que acerte, não se engesse com processos definidos em guias de gestão de projetos, utilize o que faz sentido para o contexto, "quem se engessa, não se mexe".


Featured Posts
Recent Posts
Archive
Search By Tags
Nenhum tag.
Follow Us
  • Facebook Basic Square
  • Twitter Basic Square
  • Google+ Social Icon